Blog

Terapia online: qual a sua opinião?

O cenário de pandemia provocou grande aumento da busca pela psicoterapia online, uma matéria da Jovem Pan relatou que essa procura se expandiu em 600% na startup Psicologia Viva, um equivalente a 600 mil consultas por ano, resultado que a empresa alcançou em apenas seis meses. Apesar do elevado número, a escolha por terapia online sempre foi de muita resistência, a pandemia de certa forma impulsionou a transição, tendo em vista que o período de isolamento ocasionou a ruptura do contato presencial e trouxe à tona novos medos, inseguranças e dúvidas às nossas rotinas. 

Alguns dos pontos-chave apontados como resistência das pessoas no ambiente virtual são em relação ao nível de confiança estabelecidos com o psicoterapeuta e ao receio de serem ouvidas por seus familiares quando estão em casa, no entanto devemos observar os benefícios e são muitos, confira aqui alguns que listamos e que abordaremos ao longo do post:

  • Horários de consulta mais flexíveis
  • Economia de tempo de deslocamento
  • Oferece mais praticidade

Dependendo da relação estabelecida em consultório, pode ser que a pessoa sinta falta de uma maior afetividade, no entanto, isso não impacta no acolhimento de suas questões, pois mesmo à distância é possível relatar suas questões e falar sobre tudo, com segurança e sem julgamentos.

Desconstruindo Tabus

Ainda que boa parte da população entenda a importância da psicoterapia, falar sobre saúde mental ainda gera muitos preconceitos, inclusive, para alguns buscar ajuda pode ser um sinal de fragilidade. Uma das resistências apontadas também é a falta de sintonia, Rodrigues e Tavares (2016) esclarecem que mesmo distantes, pessoas em sofrimento emocional grave podem ser abordadas de forma efetiva no ambiente virtual. Os autores ainda ressaltam o grande número de desabafos anônimos na web como forma de ajuda nos momentos de crises. Isso demonstra que profissionais preparados ajudam pessoas atraídas por espaços virtuais e conseguem estabelecer um vínculo surpreendente. 

Outra dificuldade enfrentada é a falta de privacidade, essa questão pode ser problemática por meio do usuário, onde pode ocorrer divisão de cômodos e medo de ser ouvido ou ter seu espaço invadido. A privacidade por meio do psicólogo sempre será respeitada, a ética profissional é válida no ambiente físico e no virtual e a integridade do cliente sempre será respeitada. 

Dicas e vantagens das sessões online

Uma das grandes vantagens é o acesso rápido e flexível, muitas pessoas não têm tempo ou disponibilidade para ir até ambientes físicos. O acesso a internet e a plataforma de comunicação pode ser feita de vários lugares, até quem precisou viajar ou se mudar pode manter o vínculo com seu atual terapeuta. Outra questão é a economia na hora de se locomover, além de ganho de tempo, pode poupar outra despesa. Rodrigues e Tavares (2016) reconhecem que o atendimento online pode ser favorável em casos de mobilidade limitada, dificuldade de acesso (exemplo: residências distantes), agorafobia, estado terminal, doenças infecciosas, dentre outros. 

Para ter condições favoráveis, é importante levar em consideração: ambiente confortável, silencioso e sem companhia (algumas pessoas utilizam carros da família), confiar no aparelho que está usando, conseguir manter uma conexão de internet, se preparar emocionalmente para a sessão e se mostrar disponível para o momento de terapia. 

Informações importantes 

  • As atividades de psicólogos de forma online são regulamentadas pela resolução N° 11, DE 11 DE MAIO DE 2018 que autoriza serviços, tais como: consultas e atendimentos psicológicos, processos de seleção de pessoal, supervisão técnica e aplicação de testes psicológicos, desde que devidamente autorizados pelo SATEPSI e normativas vigentes do CFP. Os psicólogos devem ser comprometidos com a resolução e estar atentos a vedações e recomendações, a fim de promover efeitos positivos e benéficos nos envolvidos.
  • O Conselho Federal de Psicologia afirma no código de ética o Art. 9º, onde “é dever do psicólogo respeitar o sigilo profissional a fim de proteger, por meio da confidencialidade, a intimidade das pessoas, grupos ou organizações, a que tenha acesso no exercício profissional”.

Depois de explicarmos um pouco sobre a terapia online, gostaríamos de saber a sua opinião, qual o seu interesse e se as informações te ajudaram. 

Gostou do conteúdo? Aproveite para nos seguir nas redes sociais e ler os outros posts.  

Referências: 

https://site.cfp.org.br/coronavirus-comunicado-sobre-atendimento-on-line/

https://jovempan.com.br/programas/jornal-da-manha/plataforma-de-terapia-online-registra-aumento-de-600-em-2020.html


RODRIGUES, Carmelita Gomes; TAVARES, Marcelo de Araújo. PSICOTERAPIA ONLINE: DEMANDA CRESCENTE E SUGESTÕES PARA REGULAMENTAÇÃO. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 21, n. 4, p. 735-744, out. 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2871/287149565018.pdf . Acesso em: 19 jul. 2021.

3 comentários em “Terapia online: qual a sua opinião?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s